A conquista espiritual da América: sucesso ou fracasso? - Bibliografia

A conquista espiritual da América: sucesso ou fracasso?

Autor(a): Cándida Graciela Chamorro-Argüello

E-mail: candidaarguello@ufgd.edu.br

 

Bibliografia

 

BORGES, Pedro. Misión y Civilización en América. Madrid: Alhambra, 1987.

Obra clássica acerca da ação missionária da Igreja Católica na América, em que o historiador espanhol estuda os propósitos e objetivos desta prática.

 

KARNAL, Leandro. Teatro e fé, Representação Religiosa no Brasil e no México do Século XVI. São Paulo: HUCITEC, 1994.

A obra de Leandro Karnal aborda o período inicial da História colonial do México e do Brasil a partir do tema da representação religiosa. A delimitação cronológica do estudo toma como pontos iniciais a campanha de Hernán Cortês (1519-21) no México (que culmina com a derrota dos astecas), e a chegada dos jesuítas no Brasil, (1549), estendendo-se até a morte de Anchieta, nos anos finais do século XVI. Entre outros temas importantes, são tratados aí o contexto da ação missionária católica e as estratégias franciscana e jesuítica, práticas missionárias coloniais (como a educação e o teatro,) Inquisição e repressão, entre outros. Aspecto interessante do livro é sua proposta de que possamos pensar estas experiências hispano-americana e luso-brasileira comparativamente, contrariando uma certa tradição na historiografia do Brasil, marcadamente pouco atenta a estas possibilidades.

 

KERN, Arno Alvarez. Missões: Uma Utopia Política. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1982.

Trata-se de um estudo bastante amplo da experiência missionária jesuítica junto aos guaranis na região platina (Província jesuítica do Paraguai), abordando sua organização nos inícios do século XVII, sua estabilização e expansão até meados do seguinte, e sua crise a partir das negociações entabuladas pelas coroas espanhola e portuguesa para o Tratado de Madrid. Um aspecto importante da obra é o esforço do autor em evidenciar que as famosas Reduções do Paraguai foram, não uma utopia social ou religiosa, mas sim instituições coloniais, e que floresceram amparadas no estado e na legislação espanhola.

 

ALBERRO, Solange. La aculturación de los españoles en la América colonial. In: BERNARD, Carmen (compiladora). Descubrimiento, conquista y colonización de América a quinientos años. México, DF: Fondo de Cultura Económica, 1992, p. 249 - 265.

Esta instigante reflexão da professora Solange Alberro, estudiosa da Inquisição Espanhola no México, convida-nos a pensar sobre as complexas redes de relações, interações, recusa e troca que se colocam em curso nos casos de contato entre tradições coloniais diferentes. Embora o objeto da autora não seja exatamente o da "conquista espiritual", este último, sem dúvida, pode (e deve) ser pensado a partir das proposições de Alberro.