A formação dos Estados Nacionais na América Latina - Bibliografia

A formação dos Estados Nacionais na América Latina

Autor(a): Fabio Muruci dos Santos

E-mailfmuruci@yahoo.com.br

 

Bibliografia

 

ANNINO, Antonio; GUERRA, François-Xavier (orgs.). Inventando la nación. Iberoamérica, siglo XIX. México: Fondo de Cultura Económica, 2003.

Ampla coletânnea de textos que reúne boa parte dos mais renomados pesquisadores contemporâneos sobre o tema. É fundamental porque permite reunir em um único volume uma síntese das novas perspectivas historiográficas sobre o problema nacional na América Latina do século XIX, abordando questões como a influência do imaginário pactista sobre a cultura política da independência, a vigência de práticas corporativas dentro dos Estados nacionais em formação, a relação entre identidade nacional e étnica entre muitos outros.

 

BOTANA, Natalio. La tradición republicana. Alberdi, Sarmiento y las ideas políticas de su tiempo. Buenos Aires: Editorial Sudamericana, 1984.

Estudo detalhado sobre os dois mais influentes autores argentinos do século XIX. O livro apresenta uma ampla contextualização das fontes intelectuais que influenciaram os autores, discutindo as tradições liberal e republicana em particular, o que é de grande interesse para a história das idéias na América Latina como um todo. A seguir faz uma minuciosa análise sobre o debate entre Sarmiento e Alberdi, exporando a problemática relação entre seus projetos políticos e o diagnóstico que faziam da realidade social argentina. É um estudo de caso que tem muito valor para a discussão sobre a mentalidade das elites intelectuais que enfrentaram o problema de construir Estados nacionais na América Latina no período.

 

CHIARAMONTE, José Carlos. Nación y Estado em Iberoamérica. El lenguaje político en tiempos de las independencias. Buenos Aires: Sudamericana, 2004.

Estudo na linha da história dos conceitos políticos que discute sob novos ângulos a questão nacional no período da indepedência, com ênfase na Argentina mas de interesse mais amplo. Argumenta que o idéia nacional era muito pouco desenvolvida no período inicial das lutas de independência. Discute a influência da teoria pactista sobre o vocabulário político predominante, os critérios de identificação e pertencimento e os debates sobre federação e confederação.

 

GIL, Antonio Carlos Amador. Tecendo os fios da nação. Soberania e identidade nacional no processo de construção do Estado. Vitória: Editora Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, 2001.

Tese que discute a formação de um sentimento de identidade nacional na Argentina nos primeiros anos do processo de independência. É importante ao destacar a participação da imprensa e dos espaços de sociabilidade, especialmente em Buenos Aires, na formulação das primeiras concepções de nação na região, discutindo criticamente alguns princípios da historiografia argentina recente.

 

PAMPLONA, Marco; DOYLE, Don H. (orgs.). Nacionalismo no Novo Mundo. A formação de Estados-nação no século XIX. Rio de Janeiro: Record, 2008.

Coletânea que reúne artigos sobre movimentos e idéias nacionalistas em diversos países americanos do século XIX. Importante, em primeiro lugar, porque tem o próposito geral de discutir a especificidade do nacionalismo no cenário americano, buscando situá-la diante das teorias gerais sobre o tema criadas para o contexto europeu, como as de Benedict Anderson. Também é importante por unir artigos sobre o nacionalismo na América Latina e nos Estados Unidos, buscando uma perspectiva continental mais ampla.

 

SAFFORD, Frank. Política, ideologia e sociedade na América Espanhola do pós-independência. In: BETHELL, Leslie (org.). História da América Latina. Vol. III. São Paulo: EDUSP, 1999.

Embora não trate especificamente sobre a questão nacional, é interessante por apresentar um quadro geral sobre as dificuldades concretas enfrentadas pelos Estados latino-americanos para afirmar sua autoridade e o impacto dessas dificudades sobre o debate político do período.