Lista de Minicursos

23/05/2012

 

Lista de Minicursos

 

X Encontro Internacional da ANPHLAC – 2012

 

Minicursos

 

Ministrantes: Adrián Celentano e Natalia Bustelo (UNLP)

Título: Intelectuales y política. Un abordaje de las revistas culturales en dos coyunturas clave: de los primeros años de la Reforma Universitaria y la emergencia de la “nueva izquierda intelectual” a fines de los años sesenta

 

Resumo: En los últimos años, las revistas culturales se han mostrado como una rica vía para registrar los debates político-culturales del pasado, así como para mapear en su complejidad el campo intelectual. Atendiendo a ello, el minicurso se propone retomar esas fuentes para comparar el modo en que, en dos coyunturas sumamente significativas de la historia argentina, fue tramada la relación entre intelectuales y política. Luego de una introducción metodológica, se planea abordar las publicaciones de tres grupos estudiantiles que operaron como el “background” de la Reforma Universitaria, a saber: Ideas. Órgano del Ateneo Universitario(1915-1919), Cuadernos del Colegio Novecentista (1917-1919) yThemis. Revista del Centro de Estudiantes de Derecho (1918-1919). Las distintas articulaciones que esos universitarios intentan con la política serán contrastadas con las posiciones de dos grupos que, ante los movimientos insurreccionales que sucedieron al Cordobazo, dan un vivo impulso a la “nueva izquierda” y se organizan a través de Los libros (1969-1976), identificada con la renovación estructuralista del marxismo, yCristianismo y Revolución (1968-1971), ligada a la radicalización católica y peronista.

 

 

Ministrante: Cristiane Checchia (USP)

Título: Literatura e história na narrativa argentina contemporânea

Resumo: Este mini-curso propõe a leitura de narrativas breves de três autores da literatura argentina contemporânea - Juan José Saer, Ricardo Piglia, e César Aira – tendo em vista as relações entre literatura e história na obra de cada um deles. As narrativas dos três escritores dialogam intensamente com a tradição literária e historiográfica argentina e latino-americana. Ao mesmo tempo, no entanto, por meio de intensa e singular experimentação com a linguagem, seus relatos desestabilizam imagens do passado nacional e continental fortemente cristalizadas nos discursos hegemônicos.  Ao analisar os contos sugeridos os participantes poderão aproximar-se de problemas de ordem teórica do conto como gênero literário e de alguns dos dilemas da narrativa contemporânea, bem como de recursos metodológicos de leitura de textos literários. 1º encontro: A (im)possibilidade de dizer o passado – “El intérprete”, de Juan José Saer; 2º encontro: Testemunhos e versões - “Las actas del juicio”, de Ricardo Piglia; 3º encontro: tradição literária e experimentação – “O vestido cor-de-rosa”, de César Aira.

 

 

Ministrante: Fábio da Silva Sousa

Título: Quando a Imprensa encontra Clio: notas sobre o uso da imprensa periódica nas pesquisas históricas.

Resumo: O referido mini-curso tem como objetivo discutir questões metodológicas, caminhos e desafios no uso da Imprensa como fonte eobjeto nas pesquisas históricas voltado especialmente para a realidade latino-americana. A proposta do mini-curso seguirá a seguinte programação:

Primeiro dia: apresentação do curso e discussão sobre metodologias de pesquisa.

Segundo dia: apresentação e definição das alguns tipos de Imprensa periódica (grande imprensa, imprensa operária, imprensa de humor, imprensa literária, imprensa esportiva, imprensa partidária, entre outros).

Terceiro dia: apresentação de algumas pesquisas historiográficas sobre a grande imprensa e a imprensa operária na América Latina (anarquista e comunista).

 

 

Ministrante: Gabriel Passeti (FASM)

Título: Estratégias de expansão territorial e estabelecimento de soberanias dos Estados diante de resistências de povos nativos no século XIX

Resumo: O século XIX esteve marcado, em amplas regiões do planeta, por conflitos armados entre brancos e nativos, decorrentes de disputas por soberania, acesso a riquezas e concepções sobre superioridade racial. Este mini-curso propõe a análise de algumas linhas mestras que nortearam a construção destas tensões nas zonas de contato das expansões brancas no planeta, procurando identificar de que forma as especificidades locais se conectaram a um amplo movimento internacional de ocupação de territórios. Serão ministradas três aulas, pautadas na identificação das principais regiões de tensão e confronto e dos discursos que legitimaram as propostas de ocupação destes territórios; na análise dos diferentes interesses de nativos, mestiços e brancos, envolvidos nas tensões nas zonas de contato; na comparação entre as diferentes estratégias de convivência e resistência e nas estratégias construídas para sua superação. As Campanhas do Deserto, executadas na década de 1870 na Argentina, no contexto das disputas políticas entre gruposcriollos, de suas conexões com diferentes etnias indígenas e os múltiplos interesses envolvidos, serão utilizadas como estudo de caso para a análise proposta.

 

 

Ministrante: Iuri Cavlak (UNIFAP)

Título: Brasil e Argentina: Um século de contradições (1910-2010)

 

Resumo: Os dois maiores países da América Latina protagonizaram relações econômicas e políticas que tenderam ora para a aproximação ora para o distanciamento, dentro do século mais revolucionário da história humana até aqui. Do Pacto ABC (Argentina, Brasil e Chile) nos anos de 1910, passando pelos acordos Vargas – Perón em 1950 e a criação da ALALC (Associação Latino Americana de Livre Comércio) em 1960, a união diplomática pareceu estar na ordem do dia. Por outro lado, os desacordos nos governos Dutra – Perón e as idiossincrasias das ditaduras militares a partir de 1964 nos levaram a enquadrar o problema de um ponto de vista cético em termos de convergências. Ora, é no tempo presente que deságuam essas duas tendências históricas, no bojo da globalização, da ofensiva neoliberal e do predomínio do capital financeiro em termos de macro-economia, enquanto as forças que impulsionam o Mercosul de alguma forma tentam se opor a essas tendências. “Historicizar o presente” (Hobsbawm) é o objetivo deste mini-curso, vislumbrando os limites e possibilidades do relacionamento em tela. Primeira Parte (1910 – 1945): 1) “Tudo nos une, nada nos separa”: O condomínio oligárquico dos anos 1910; 2) A crise dos anos 1930: saídas alternativas; 3) O contexto 1940 – 1945: conflito e integração. Segunda Parte (1946 – 1964): 1) O imediato pós-guerra: “tudo nos separa”; 2) A conjuntura Vargas – Perón: um novo pacto ABC; 3) O eixo Juscelino Kubitschek – Arturo Frondizi: a fundação da ALALC. Terceira Parte (1965 – 2010): 1) Os governos militares: a rivalidade dentro da amizade; 2) A chamada redemocratização: para onde vai o Cone Sul?; 3) Tempos neoliberais, tempos pós - neoliberais: o Mercosul à deriva.

 

 

Ministrante: Rafael Gonçalves Borges (UFG)

Título: Cinema e (trans)modernidade: representação, alteridade e natureza na Hollywood pós-1970

Resumo: O presente minicurso tem como proposta problematizar determinadas reavaliações identificadas nas representações cinematográficas pós-1970 dos Estados Unidos, acerca de sua história, identidade e complexidade social. A análise será direcionada para os limites do Projeto Moderno Ocidental nos Estados Unidos (e em consequência, na história mundial do século XX), fundamentalmente no que se refere à objetivação da natureza e do Outro, que conduziu a formas de exploração e dominação de ambos. Tais problemas serão suscitados a partir do exame de trechos de filmes que obtiveram repercussão nas últimas premiações do cinema norte-americano, guiada por textos pontuais e introdutórios selecionados de acordo com os temas apontados, quais sejam: os limites da modernidade e dos discursos monotópicos, as relações interculturais que se degeneram em modos violentos de dominação e as maneiras de representar e se apropriar a natureza.

 

 

Ministrante: Wagner Pinheiro Pereira (UFRJ)

Título: Hollywood e a Guerra Fria: Cinema e Política nos Estados Unidos da América (1945-1991)

Resumo: O minicurso tem o objetivo de fornecer subsídios para uma reflexão em torno dos métodos de utilização do cinema e do filme enquanto recurso didático, fonte e objeto de estudo na área de História das Américas. Para a realização da proposta, a análise das produções cinematográficas hollywoodianas, centradas nos temas da ameaça comunista e do temor da bomba atômica, será utilizada para discutir a relação política e cultura nos EUA durante a Guerra Fria (1945-1991). Segundo Steven Mintz e Randy Roberts, em Hollywood’s America, o cinema hollywoodiano figurou não somente como uma importante indústria de entretenimento de massa dos EUA, mas seus filmes também expunham mundialmente valores e premissas que acabariam tendo o poder de influenciar seus espectadores sobre a visão que tinham da “América” e de si mesmos. Seguindo esta interpretação e a partir da exibição de cenas de um conjunto estrategicamente escolhido de filmes, acompanhadas da discussão bibliográfica especializada, o minicurso pretende proporcionar instrumentos de análise crítica do material audiovisual, que permitam englobar desde os aspectos de análise interna (gêneros, linguagens e estilos) até questões externas, tais como a recuperação do contexto histórico e as relações entre a indústria cinematográfica, os cineastas/produtores, o Estado e os outros meios de comunicação de massa.