Carta de apoio à comunidade acadêmica da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)

 

 

 

 

 

 

A Associação Nacional dos Pesquisadores e Professores de História das Américas (ANPHLAC), em conformidade com a Associação Nacional de História (ANPUH), o Fórum Universitário Mercosul (FoMerco) e a Associação Brasileira de Hispanistas (ABH), vem manifestar solidariedade à comunidade acadêmica da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA) e repudiar à Emenda Aditiva à Medida Provisória 785/2017, apresentada pelo Deputado Federal Sérgio Souza (PMDB/PR) que propõe transformar a UNILA em Universidade Federal do Oeste do Paraná (UFOPR) com foco no agronegócio e na articulação com indústrias locais. Isso significa o desmantelamento do projeto original de criação da UNILA e fere os princípios de autonomia da universidade que são garantidos pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e pela Constituição Federal.   

A UNILA, sediada em Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, foi criada pela Lei 12.189/2010, aprovada pela Câmara dos Deputados, Senado Federal e sancionada pela Presidência da República em 12 de janeiro de 2010. A UNILA tem como vocação contribuir “para a integração latino-americana, com ênfase no Mercosul, por meio do conheci­mento humanístico, científico e tecnológico, e da cooperação solidária entre as instituições de ensino superior, organismos governamentais e internacionais.” A UNILA oferece cursos “em áreas de interesse mútuo dos países da América Latina”, principalmente “em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento e a integração regionais. ”

Nos seus sete anos de existência a UNILA tem cumprido seu papel de integrar conhecimento e culturas por meio da produção de saberes pautados no latino-americanismo e no plurilinguismo com base na autonomia universitária. A UNILA também é um importante caminho para maior aproximação entre o Brasil e seus vizinhos hispano-americanos. Por tudo isso, a ANPHLAC se posiciona contra qualquer medida autoritária que coloque fim ao projeto original da UNILA e reitera sua posição de repúdio à Emenda Aditiva.

Diretoria da ANPHLAC (Biênio 2016-2018)

Julho de 2017